Embora seja já a partir da próxima segunda-feira, 16 de março, que pelo menos metade do país vá parar, não se sabe ao certo quanto tempo é que as medidas de prevenção e contenção do surto de COVID-19 vão durar. Espera-se que, ao reduzir a exposição e a taxa de contacto, os profissionais de saúde e os hospitais tenham mais tempo para se preparar e poder dar assistência a todos os casos que lhes cheguem.

Com o encerramento de escolas, bares, discotecas e restrições em zonas comerciais, a ideia é passar rapidamente à fase de mitigação do surto.

No entanto, e segundo revela o jornal "Expresso" na edição impressa deste sábado, 14 de março, "a estimativa do pico de contágios com que o Executivo está a trabalhar é de dez semanas" — um cenário que também foi estabelecido pelo diretor-geral da Saúde britânica na sexta-feira, 13 de março.

Segundo a mesma publicação, é com base em todos estes dados que a Direção Geral de Saúde está a afinar medidas e projeções que apontam para que o pico da crise só aconteça na segunda semana de maio.

COVID-19. Vai receber menos salário? Quem lhe vai pagar? Pode ser despedido? Uma advogada explica tudo
COVID-19. Vai receber menos salário? Quem lhe vai pagar? Pode ser despedido? Uma advogada explica tudo
Ver artigo

Mas depois disso, e numa nova fase, "ainda será preciso esperar que o número de casos baixe o suficiente para que o fim do estado de alerta não desencadeie uma nova sequência de contágios."

Será precisamente nessa altura que o Governo irá realizar uma nova avaliação. Segundo a mesma publicação, a primeira está marcada para 9 de abril onde o Executivo vai tentar perceber, junto dos técnicos de saúde, se já existem mais certezas acerca da eficácia das medidas que estão a ser tomadas e que preveem os dois tipos de isolamento — o forçado e o voluntário.

Dirigindo-se aos portugueses na quinta-feira, 12 de março, António Costa falou das expectativas para o futuro dada a conjuntura atual, admitindo que "é muito provável que este possa ser um surto mais duradoura do que se possa ter estimado inicialmente."

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.