Tiago Amorim, mais conhecido como chefe Jamon no mundo digital, tem 39 anos e vive em Valbom, no Porto. Chefe Jamon é a sua persona online, e a primeira aparição nas redes sociais aconteceu com a publicação de uma receita no Reddit, em 2010, inicialmente com outro nome, "Forever Jamon".

Entre posts de receitas, que continham uma fotografia e uma pequena legenda humorística, a ideia começou a ser muito bem recebida pela comunidade digital, e Tiago foi continuando a publicar.

A partir daí, decidiu criar uma conta de Facebook, outra de Instagram, comprou um domínio e criou um site, e apenas mais tarde passou para os vídeos no YouTube. A conta do Twitter é também algo que usa mais recentemente, tendo começado a fazer reviews de comida vendida em hipermercados, "que por acaso, têm tido um bom feedback", revela o chefe Jamon.

Conta que a primeira crítica que teve a ideia de publicar foi de uma francesinha que mandou vir para casa do Restaurante Cocktail, em Gondomar. "Achei engraçado o facto de eles enviarem o molho da francesinha numa garrafa de água das pedras, era uma maneira engraçada de reutilizar a garrafa".

Francesinha do do Restaurante Cocktail, em Gondomar
Francesinha do do Restaurante Cocktail, em Gondomar créditos: divulgação

Contudo, curiosamente, o primeiro sítio que recebeu uma crítica de Tiago não foi o Twitter, mas sim um fórum de tecnologia que costuma frequentar, o zwame fórum, que apesar de nada ter a ver com comida, "tem um tópico dedicado a francesinhas", refere o crítico. Mais tarde, lembrou-se de colocar a review também no Twitter, e revela que foi bem recebido pela comunidade digital, tendo continuado a publicar mais críticas de produtos.

Chefe Jamon fala ainda sobre o facto de as pessoas atribuírem mais relevância a produtos simples. "Acho engraçado porque normalmente os produtos que têm mais likes e interações são aqueles produtos mais baratos, tipo um croquete ou uma nata", e acrescenta: "se fizer por exemplo uma review de uma pastelaria aqui em Gondomar se calhar não tenho tanto engagement porque é uma coisa que só tenho aqui, enquanto que se for um croquete de supermercado, há em vários, e as pessoas podem provar".

A conta do Twitter de Tiago conta ainda com críticas a restaurantes, entre outras publicações espontâneas (e sempre humorísticas) pelo meio.

Por ter um Aldi mais perto de casa, este é o hipermercado que mais frequenta atualmente. "Se bem que, se tivesse de escolher um preferido acho que escolhia o Mercadona (...), que tem muitas coisas gostosas". Já quanto a produtos prediletos, refere: "o mais icónico eu diria que é o donut do Lidl, é dos melhores produtos deles, a nata também é boa". Para além disso, destaca ainda os chocolates da marca Lidl.

Estas críticas estão relacionadas com um traço que desde cedo esteve presente na personalidade de Tiago Amorim: o gosto pela culinária. Quando acabou o 9º ano, os seus planos passavam por entrar na Escola de Hotelaria e Turismo de Santa Maria da Feira, mas como iria ficar separado dos amigos, acabou por decidir ingressar pelo ensino secundário regular.

Porém, o gosto pela cozinha não ficou esquecido e, passados uns anos, ingressou no Curso de Gestão e Produção de Pastelaria na Escola de Hotelaria e Turismo do Porto. Teve a oportunidade de estagiar no restaurante NOMA, na Dinamarca, premiado com três estrelas Michelin e considerado um dos melhores do mundo, para além de ter trabalhado em várias pastelarias, sendo que o último local onde exerceu tarefas foi num hotel, também em pastelaria, mas ao fim de três contratos acabou por ser dispensado do espaço.

Em 2021, participou no desafio "Faz-te Chef" do 24Kitchen, e ganhou. Tiago explica que a oportunidade consistia em "fazer um vídeo em casa, com um máximo de cinco minutos e enviar a receita", sendo que seriam selecionados apenas cinco candidatos. "Em 140 participações, eu fui um dos selecionados, e depois fui a Lisboa fazer uma receita com um cabaz surpresa, que eu não sabia o que era", relembra.

A prova era a mesma para os restantes candidatos, mas Tiago destacou-se. "Fomos a votos do público e ganhei". O prémio do passatempo consistiu em fazer cinco receitas para divulgação pelo 24Kitchen, que passou as mesmas no canal de YouTube e na televisão.

Os restantes vídeos da rubrica "Faz-te Chefe", cujo vencedor foi o chefe Jamon, encontram-se disponíveis no canal de YouTube do 24 Kitchen. Já em 2022, esteve na "Praça da Alegria", da RTP1, onde cozinhou uma feijoada de chocos e camarão.

As adversidades da doença e a forma como se mantém otimista

Durante a entrevista à MAGG, Tiago desabafou que, durante o seu percurso pelas redes sociais, passou dois anos difíceis em termos de saúde, e que por isso não conseguiu produzir tanto conteúdo como gostaria. Isto porque entre 2018 e 2019 foi diagnosticado com uma doença autoimune rara, que se manifestou mais severamente durante os anos de 2021 e 2022.

"Eu costumava dar sangue no Instituto do Sangue, no Porto, de três em três meses. Gostava de ajudar as outras pessoas, além de que dava sempre para comer uma sandocha de fiambre e um suminho ou uma bolachinha Maria", conta o amante de cozinha em tom de brincadeira.

Contudo, durante uma das vezes que se deslocou ao local para doar sangue, foi inesperadamente impedido devido a uma anomalia nas análises. "Da última vez que fui dar sangue não pude, porque é sempre feita uma análise ao nível da hemoglobina antes de fazer a colheita, e o valor estava baixo". Tiago foi encaminhado para o médico de família no sentido de descobrir a razão dessa anemia, que lhe receitou comprimidos de ferro durante um mês, mas após esse tempo, retornou à consulta, e os níveis das análises permaneciam iguais.

Sem conseguir encontrar um motivo para aquele resultado, o médico encaminhou Tiago para um especialista em Hematologia, e ao fim de algumas consultas foi diagnosticado com uma doença rara, e autoimune, a Hemoglobinúria Paroxística Noturna (HPN), que é "basicamente uma doença em que a hemoglobina se autodestrói", explica o chefe Jamon.

Quando recebeu o diagnóstico manteve-se esperançoso, pois chegou a pensar que podia ser algo mais grave, como uma leucemia. Começou a ser seguido frequentemente por especialistas em Hematologia, mas nos pontos mais difíceis da doença admite que se sentiu "completamente de rastos, passava semanas de cama, porque no fundo não tinha forças, e durante essa altura estava a ser medicado com cortisona (...), que provocou várias sequelas", como uma catarata num olho, e inclusive osteoporose, uma redução da densidade dos ossos.

Contudo, no final de 2021, o especialista que acompanhava Tiago informou-o de que sabia da existência de um ensaio clínico para a doença e perguntou-lhe se teria interesse em entrar. "Eu disse que sim, bora. Tive que tomar logo quatro vacinas de uma vez, duas em cada braço".

Confessa que o ensaio clínico, que começou em março de 2022, demorou um pouco a começar a ter efeitos, mas que até agora tem estado bem. Um dos episódios que o marcou relativamente à doença, foi quando ganhou o concurso "Faz-te Chef", do 24Kitchen, e a gravação dos vídeos, que constituíam o prémio, estava marcada para um dia em que Tiago se sentia extremamente mal, e que inclusive foi necessário adiar, conta o crítico.

Apesar dos efeitos tardios (mas positivos) originados pela medicação do ensaio clínico, Tiago já se encontra dentro dos parâmetros normais para um típico portador da sua doença, a HPN, e o cenário é positivo, referindo que sente melhorias na sua qualidade de vida. "Apesar de ter esta doença, não é uma coisa que eu costumo falar nas redes sociais porque é só uma coisa que eu tenho, não é uma coisa que me define", continuando, "não sou o Jamon doente, sou o Jamon das reviews e dos vídeos".

Chefs on Fire. O festival dos foodies faz as malas e sai de Lisboa. Pop-up chega a Aveiro
Chefs on Fire. O festival dos foodies faz as malas e sai de Lisboa. Pop-up chega a Aveiro
Ver artigo

"Sinto-me como se fosse a Maria de Lourdes Modesto da geração millennial"

Atualmente, Tiago trabalha em casa. Faz edição de vídeo e, nos tempos livres, aposta no ramo da culinária, e na sua partilha pelas várias redes do mundo digital. "O que me custa mais é escrever as receitas, não é tanto a edição, porque ao fim de cinco anos é um bocado complicado estar a escrever piadas que não tenha já usado", diz, em tom de brincadeira.

Para já, o amante de cozinha foi contactado por algumas marcas de produtos alimentares, tendo recebido uma "t-shirt com a cara do Manuel Luís Goucha" que ainda hoje usa.

Porém, o chefe Jamon não quer ficar por aqui e anseia outros horizontes. "O meu objetivo é ter seguidores suficientes para um dia alguma marca me oferecer uma cozinha. Depois, quando tiver a cozinha, desapareço da internet".

Quando questionado sobre uma reação que o tenha marcado especialmente, Tiago relembra. "Uma vez recebi uma mensagem de um rapaz no Instagram a dizer que começou a ler as minhas receitas no Reddit e que, quando passei para o YouTube, começou a ver as receitas com a mãe".

"De certa forma sinto-me como se fosse a Maria de Lourdes Modesto da geração millennial", diz, em tom de brincadeira. "Estou a tentar fazer com que as pessoas tenham um gosto pela cozinha e que cozinhem, porque quando veem os vídeos dizem: 'ah afinal isto parece fácil de fazer', e a verdade é que é fácil". Tiago garante que faz um esforço de edição, no sentido de tornar os vídeos o mais cativantes possível, e de mostrar que, de facto, por vezes as pessoas têm uma ideia errada em relação a uma determinada receita e não a testam por isso, quando no fundo é mais simples do que pensavam à partida.

No que diz respeito à inspiração para a criação de conteúdos, o chefe Jamon já mudou a estratégia que tinha inicialmente, por não lhe ser rentável. "Antigamente, quando fazia uma receita fazia vários testes. Às vezes fazia, três, quatro, cinco vezes a mesma coisa, mas chegou a um ponto em que não era sustentável a nível financeiro. Não posso estar a gastar assim tanto dinheiro a fazer testes para um vídeo que vai ter para aí mil ou duas mil visualizações. Não tem retorno, apesar de eu gostar", garante.

Deixou a estratégia tentativa e erro, mas Tiago Amorim mostra que continua o mais empenhado possível em satisfazer a sua comunidade digital. "Agora o que eu costumo fazer é receitas que eu sei que funcionam, e que já fiz algumas vezes. São normalmente receitas que eu faço em casa, para jantarmos, e quando eu vejo que funciona e que é bom penso: 'vou filmar'". O criador de conteúdos acaba por juntar o útil ao agradável, deixando o jantar feito ao mesmo tempo que tem também conteúdo, através dos pratos que aproveita para fotografar, e para partilhar nas redes sociais.

Tiago Amorim admite ainda que, antes de produzir conteúdos, questiona os seguidores se aquele prato em específico lhes interessa. "Tiro foto à comida que faço e partilho, e pergunto se o pessoal tinha interesse em que eu fizesse um vídeo. Quando são coisas que muita gente responde, são as que eu costumo filmar".

A mini versão do Chefe Jamon, o Jamonzinho

No Instagram do Chefe Jamon, percebemos que já não trabalha tanto sozinho, e de futuro, talvez tenha a tendência para o vir a fazer cada vez menos. Isto porque o seu "Jamonzinho" também já gosta de meter as mãos na massa. Estamos a falar do filho de quase três anos, o pequeno João. "Está naquela fase em que quer ser ele a fazer tudo, é muito independente", afirma o cozinheiro.

Apesar de não estarem casados, Tiago Amorim e a mulher, Angélica Barbosa André, que chama carinhosamente de "Lica", estão juntos há 15 anos, tendo ainda um filho de quatro patas, um gato, oficialmente chamado de "Dourinho", por estarem localizados "à beira do Douro, e também por ser laranja, douradinho", mas cujo nome do dia a dia é Gatinho, companheiro do filho João (ou Jamonzinho).

Tiago contou que numa das visitas semanais ao domingo a casa dos pais, disse ao filho que ia fazer uma torta de laranja. "Ensinei-o a partir os ovos e estava a ver se ele conseguia fazer aquilo com jeito. A técnica dele era mandar os ovos para dentro da taça para partir e depois tirava as cascas".

Apesar da tenra idade do filho, Tiago não exclui a possibilidade de o incluir nos vídeos. "Estou à espera que ele tenha assim um bocadinho mais de destreza manual para me ajudar a cozinhar, e para que eu lhe passe esse gosto. Daqui a um aninho ou dois começamos a fazer uns vídeos para ver se ele quer entrar num vídeo a sério", conclui.

Chefe Jamon (Tiago Amorim) e o seu filho, João,
Tiago Amorim, mais conhecido por Chefe Jamon, e o seu filho, João, o "Jamonzinho" créditos: divulgação

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.