Depois de Daniel Monteiro ter estado à conversa com Manuel Luís Goucha no "Você na TV" desta segunda-feira, 29 de junho, foi a vez de Sónia ser entrevistada pelo apresentador. A concorrente de Vila Nova de Gaia acabou por desistir na gala do último domingo, depois de várias polémicas durante a semana. A discussão com Noélia, onde se exaltou, e o comentário xenófobo que fez em relação às mulheres brasileiras, custou-lhe a liderança e ficou com uma nomeação direta.

Mesmo antes de a nomeação ter começado a fazer efeito, Sónia acabou por abandonar a casa mais vigiada do país. A Manuel Luís Goucha, explicou que saiu não com medo de ser expulsa pelos portugueses, mas com saudades e preocupação com a família que tinha deixado cá fora. Recusou também a ideia de ter feito parte de um grupo, referiu que não tinha informações privilegiadas do exterior, e entendeu que tinha passado de uma das concorrentes favoritas do público para uma das menos populares.

“Passamos de bestial a besta num instante”, começou por dizer Sónia. A concorrente explicou que a sua popularidade cresceu com o “BB ZOOM” porque estava sozinha num quarto, onde podia dizer o que quisesse sem ter o risco de ser mal interpretada. “Podia ser realmente eu”, explicou. Ainda assim, diz que precisava de pessoas ,e que por isso ficou entusiasmada por ir para uma casa com muita gente. A desvantagem é que as personalidades de todos eram muito diferentes, e acabou por chocar com algumas pessoas. “Pensava que ia ser mais fácil”.

"BB2020". Sónia desiste do programa e estala discussão entre a mãe da concorrente e Cláudio Ramos
"BB2020". Sónia desiste do programa e estala discussão entre a mãe da concorrente e Cláudio Ramos
Ver artigo

Diogo e Noélia foram alguns dos concorrentes que tiveram arrufos com a vendedora ambulante. Por coincidência, estes não faziam parte do grupo Kamikaze. Apesar de ser chegada aos membros deste grupo, Sónia sempre negou ter feito parte do mesmo. “Não, isso não é verdade. Claro que há pessoas com que tenho mais afinidade do que com outras. Para mim não foi prejudicial porque eu nunca me considerei parte nem de um lado, nem do outro”, explicou. Acrescentou que o que a prejudicou foi o facto de ser tão emocional.

“As minhas emoções foram prejudiciais. As discussões. Há quem me compreenda, há quem me interprete mal. Eu não acho que me descontrolei, só me descontrolei a nível emocional. Fez-me falta o afeto e o amor”, referiu.

O descontrolo emocional revelou-se na discussão com a Noélia e no tal comentário xenófobo. A ex-concorrente revelou que a situação foi retirada do contexto e que não disse nada com o intuito de magoar ninguém. “Eu quando digo aquilo quero dizer que elas [mulheres brasileiras] são fortes, e quando uso a palavra favela não é a criticar ninguém. Eu sou inteligente. Se soubesse que aquilo me iria prejudicar, não o diria. Aquilo foi tudo gerado em contexto de conversa, não com intenção de magoar alguém”, explicou. “Achei que foi exagerado e que foi dando ênfase a uma coisa não tinha”. Sónia aproveitou a deixa para explicar que a sua saída nada teve que ver com esta situação, ou com medo de ser expulsa pelos portugueses, mas antes por preocupação e saudades.

“Big Brother 2020”. Sónia revela que as filhas são fãs de Sandrina e Jéssica
“Big Brother 2020”. Sónia revela que as filhas são fãs de Sandrina e Jéssica
Ver artigo

Agora que já saiu da casa, a ex-concorrente admitiu que está a “adorar” todo o carinho dos seus seguidores, acrescentando também que o que dá alegria à casa são concorrentes com garra. “Se uma Sónia não discute ou não opina, se uma Teresa não discute ou não opina, se uma Jéssica não discute ou não opina, o que temos naquela casa?”, questionou. “Nós não fazemos de propósito, somos assim, uma mistura de personalidades. Acho que o jogo verdadeiro não é o que acontece dentro da casa, mas cá fora”. Sónia admitiu que as únicas vezes que sentiu que estava a jogar era quando o Big Brother mandava os concorrentes reunir-se na sala.

A vendedora ambulante de Vila Nova Gaia explicou ainda que não tinha informações adicionais da família – “isso é mentira” – e ainda revelou que não tem saudades nenhumas da casa da Ericeira. “Ainda não sei se me arrependo [de ter entrado] ou não. Estou em fase de processo”.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.