O presidente do Brasil Jair Bolsonaro volta a fazer afirmações polémicas sobre a COVID-19. Depois de considerar o vírus uma "gripezinha" e mesmo após ter contraído a doença, num direto de Facebook esta quinta-feira, 25 de fevereiro, falou de um alegado estudo alemão para defender que as máscaras provocam "efeitos colaterais".

"Começam a aparecer estudos, não vou entrar em detalhes, não é?!, sobre o uso de máscaras. Num primeiro momento, uma universidade alemã fala que elas são prejudiciais para crianças, e levam em conta vários itens", começa por afirmar o presidente.

Bolsonaro enumera vários sintomas alegadamente causados pelas máscaras, como "irritabilidade, dor de cabeça, dificuldade de concentração, diminuição da perceção de felicidade, recusa em ir para a escola ou creche, desânimo, comprometimento da capacidade de aprendizagem, vertigem e fadiga". Com base nos dados que diz ser de uma universidade alemã, o Presidente do Brasil tira a sua conclusão: "Começam a aparecer aqui os efeitos colaterais das máscaras".

Bolsonaro dá mergulho no primeiro dia do ano e provoca ajuntamento (VÍDEO)
Bolsonaro dá mergulho no primeiro dia do ano e provoca ajuntamento (VÍDEO)
Ver artigo

O Presidente preferiu não adiantar mais pormenores sobre o estudo justificando que "tudo desagua em crítica em cima" do chefe de Estado. Ainda assim, deixou claro: "Tenho a minha opinião sobre máscaras, cada um tem a sua, mas a gente aguarda um estudo mais aprofundado sobre isso por parte de pessoas competentes".

As afirmações foram feitas durante uma transmissão em direto no Facebook do Presidente, marcada para esta quinta-feira, 25. A sessão teve como objetivo abordar variados temas, entre os quais auxílios à população e o  programa Microempreendedor Individual (MEI) Caminhoneiro.

O "uso generalizado de máscaras" é recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que aconselha que sejam usadas por crianças entre os 6 e 11 anos em linha com diversos fatores, e é ainda recomendado como pela Direção-Geral de Saúde (DGS).

Além disso, recentemente surgiu um estudo do National Institutes of Health (NIH), agência federal norte-americana de investigação médica, que revelou que a humidade criada pela respiração ao usar máscaras de proteção pode ajudar a combater doenças respiratórias como a COVID-19.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.