Está decidido: quer perder peso e aventura-se numa dieta. Embarca numa odisseia solitária, sem pedir ajuda a um especialista e, assim, antes de começar, já cometeu o primeiro erro de quem quer emagrecer. O segundo está para breve: na altura de elaborar o seu plano alimentar, corta arroz, pão, massa, tudo o que sejam fontes de hidratos de carbono. É verdade que é um macronutriente altamente energético, mas também é verdade que desempenha funções importantes no nosso organismo.

E a sua restrição absoluta tem consequências. "Uma restrição drástica dos hidratos de carbono pode desencadear algumas alterações hormonais, mau humor, diminuição do metabolismo, entre outros", explica à MAGG a nutricionista Débora Pita.

Consumir nutrientes de forma equilibrada e não tomar medidas radicais são dois dos fatores mais determinantes para qualquer dieta de perda peso que resulte em sucesso. Além disso, é preciso não esquecer: para emagrecer e não voltar a engordar é preciso de tempo — a principal condição para resultados consistentes, para aprender a comer bem para sempre.

Ranking. Quais são os queijos mais e menos saudáveis
Ranking. Quais são os queijos mais e menos saudáveis
Ver artigo

Mas há mais um fator crucial: saber escolher as melhores fontes nutricionais. No que se refere aos hidratos de carbono, "o que devemos ter em consideração é a quantidade e o tipo que consumimos", explica. "Como é lógico uma maçã é diferente de um pastel de nata. As fontes de hidratos de carbono que devemos evitar são os refrigerantes, açúcares, doces, bolos."

Foi a pensar nisto que pedimos a Débora Pita para ordenar os principais grãos e cereais da nossa alimentação, as fontes de hidratos de carbono que, regra geral, nos acompanham à refeição. “Utilizei mais a tabela nutricional de alimentos portuguesa, quando não consegui utilizei a do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos. Não encontrei o arroz basmati em nenhuma, por isso usei mesmo do pacote que tinha cá em casa.” 

Quanto aos critérios, a nutricionista não se guiou apenas pelo número de calorias, porque não é essa a única característica para determinar se estamos perante um alimento mais ou menos saudável. Neste caso, importa muito medir a quantidade de fibra presente (contribui muito para a saciedade) e a sua versatilidade.

Os valores são por cada em 100 gramas de alimento, em cru. Ora veja.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.