Na primavera do ano passado o restaurante Oh! Sorte abriu portas com um nome que é quase uma ironia aos tempos que vivemos. Depois de avanços e recuos conforme os confinamentos e desconfinamentos implementados em Portugal, a pizzaria Oh! Sorte regressou a 28 de maio com carta renovada e surpresas que vêm a calhar para as noites de verão. Nós, curiosos, fomos conhecer o conceito do espaço a poucos metros da principal avenida de Lisboa, a Avenida da Liberdade, e numa rua que abre o apetite.

Sophia. Já fomos ao novo italiano da capital e dizemos-lhe o que não pode deixar de provar
Sophia. Já fomos ao novo italiano da capital e dizemos-lhe o que não pode deixar de provar
Ver artigo

Ao subir a acentuada Rua da Alegria, encontrámos a tabuleta colorida a dizer Oh! Sorte e, de fora, nada fazia prever o que íamos encontrar. Talvez pelo nome da rua ou só por coincidência, foi com sorrisos rasgados que fomos recebidos e encaminhados para a mesa junto à esplanada, que é como uma espécie de jardim de inverno. É aqui que fica um dos pontos principais do restaurante: uma oliveira, envolvida por um balcão em pedra mármore, que completa o ambiente natural do espaço, desde as plantas decorativas às árvores do exterior que podemos ver através do teto em vidro.

Oliveira
Oliveira Oh!Sorte créditos: MAGG

Ao ver a oliveira, nunca nos ocorreu que esta nos ia ser servida. Isso mesmo. A árvore não está aqui por acaso, faz mesmo parte da carta, permitindo servir à mesa produtos locais (e mais locais do que isto não há). A última colheita, disse-nos Cláudia Freitas, uma das responsáveis pelo restaurante, foi feita no final do ano passado e as azeitonas estão em processo de cura há cinco meses. A acompanhar as azeitonas do couvert (2€ por pessoa), chega uma manteiga de trufa, requeijão com pesto, azeite com vinagre balsâmico, pão de sementes e escuro e ainda um incrível pão de figo que não conseguimos parar de comer até não sobrar uma migalha.

A combinação do requeijão com o pão de figo, para além das azeitonas especiais, acabaram por fazer as honras da refeição, dispensando mais entradas, caso contrário não teríamos espaço para o que veio a seguir. Contudo, entre as opções há pizza com azeite, flor de sal e alecrim (3,50€) e também uma surpresa, embora desvendada na carta: queijo de ovelha da Serra envolto em massa filo, cama de rúcula, coulis de frutas vermelhas, nozes pecan, tomate cereja e morango (15€) — é certamente uma surpresa, mas de sabores.

Couvert Oh!Sorte
Couvert Oh!Sorte créditos: divulgação

Enquanto esperávamos pelo verdadeiro teste à cozinha italiana do Oh! Sorte, Cláudia Freitas contou-nos que as suas raízes estão no Brasil, onde foi proprietária, juntamente com Fábio Araújo, de um clube de praia de sucesso no estado da Bahia.

Depois de saber o percurso de Cláudia, ficámos preocupados: afinal, de onde viria a mestria da pizza que esperávamos? De José Scotini, pizzaiolo há 30 anos que ao lado de outra das proprietárias do Oh! Sorte, Alessandra Haiat, esteve à frente de uma pizzaria carioca durante quase 20 anos. Por coincidência, Cláudia e Fábio, bem como José e Alessandra, pensaram vir para Portugal na mesma altura e decidiram unir forças para tentar a sua sorte. À equipa juntou-se a chef Ana Clara Corvino, responsável pelos pratos quentes, e assim estavam prontos para começar a aventura. E nós para a provar.

Pizzas em forno a lenha e um risotto enganador

Enquanto a conversa decorria, no forno a lenha a nossa pizza ganhava forma e o risotto era mexido sem parar (como manda a regra deste prato). Quando finalmente chegaram à mesa, os olhos foram os primeiros a comer e, no caso do risotto, os primeiros a julgar. Vamos começar por ai.

Pedimos o risotto sicilia (15€), com limão siciliano e camarões salteados. Apesar de bem apresentado, sentimos que o arroz esbranquiçado ia ter pouco sabor e estaria pastoso. À primeira garfada, diretamente no arroz para tirar as dúvidas, percebemos que as primeiras impressões são sempre traiçoeiras. Não é que sabor não lhe faltava e tivemos de repetir para sentir tudo outra vez e poder identificar cada ingrediente? O toque a limão do arroz casou na perfeição com os camarões e até o agridoce em redor do prato voou para se juntar a esta mistura de sabores.

(A)provado o risotto, estava na altura de passar para a estrela do restaurante: as pizzas. Veio uma diavola (13,50€), com chouriço picante, mozzarella e molho de tomate, e há que dizer: até podia vir só a base da pizza. É que não se encontra em muitos lados uma massa fina e estaladiça no ponto, sem o rebordo demasiado queimado e também sem saltar cada vez que a faca corta mais uma fatia. O chouriço picante não o era demasiado, mas mesmo que fosse tínhamos como combater: os cocktails, mas já lá vamos.

Escolhemos a diavola por ser uma das pizzas que mais sai do forno, segundo Cláudia Freitas, mas também ficámos de olho na nova pizza da carta: a portuguesa do Brasil (16€). No nome mistura duas nacionalidades, mas na pizza tem três — italiana, portuguesa e brasileira —, desde a base, passando pelo chouriço, até aos pimentos.

Do forno a lenha não saem só pizzas, é também o sítio no qual são colocadas as massas, como a taglliatelle ragú à bolonhesa (12€), para tostar, saindo a borbulhar para a mesa.

A sobremesa ficou para uma próxima, mas há sempre uma do dia (6,50€) — apanhámos o pudim —, ou mais uma pizza para os que gostam de misturas irreverentes. Falamos da pizza com mozarela, banana caramelizada e canela (11€) ou da pizza de chocolate com morangos ou banana (15€). Em qualquer prato da ementa é dado destaque aos produtos biológicos e de produtores locais, características que fazem parte dos valores do Oh! Sorte.

Forno de lenha
Forno de lenha Oh!Sorte créditos: MAGG

Fomos ao Oh!Sorte, mas houve um azar

Não falámos em bebidas até agora com um propósito. Acompanhámos a refeição com os cocktails preparados por Brice, mas estes podiam ser bebidos apenas ao som da música do DJ que esteve sempre a passar diversos temas enquanto estivemos no restaurante. Brice veio de França e com ele trouxe um cocktail de assinatura com o mesmo nome (7€). Entusiasmado, serviu-nos outro, o baby blue (8,5€), e ficámos com uma certeza: Brice gosta de dar cor aos cocktails e também de sabores doces. Talvez não seja a melhor combinação para acompanhar os pratos de sabores fortes do restaurante, mas pedimos uma sugestão para as próximas vezes: e Brice não hesitou.

Se pedir uma pizza, peça também um Bloody Mary (7€) — esta sim parece uma melhor combinação já que a bebida junta sumo de tomate e esse é também o ingrediente base de qualquer pizza.

É fã de cocktails? Neste festival pode beber os melhores do mundo
É fã de cocktails? Neste festival pode beber os melhores do mundo
Ver artigo

Jantar no Oh! Sorte fez-nos sentir de volta às noites lisboetas em que há animação pelos bares e restaurantes. Pode sentir um bocadinho desse ambiente às sextas-feiras e sábados, dia em que o DJ toca a sua playlist de músicas portuguesas a brasileiras, mas há outro dia especial no restaurante: a quarta-feira.

Ora, está revelado o nosso azar. Tentámos marcar a ida ao Oh! Sorte numa quarta-feira, dia de rodízio de pizza, mas a lotação já estava esgotada e deixámos para o fim de semana. Como queremos que tenha sorte, marque já na agenda: todas as quartas há rodízio de pizza, com duas taças de vinho da casa ou duas imperiais incluídas (25€). Contudo, seja em que dia for, a maior sorte é poder provar cada pedaço da ementa.

Oh!Sorte

Localização: Rua da Alegria 20, 1250-007 Lisboa
Reservas: 9647 82851 ou contato@ohsortelisboa.pt
Horário: de quarta à sábado, das 18h às 22h30

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.